Fernando Pessoa me persegue

. "O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis"
Fernando Pessoa
Mas eu tenho um objecto que começa por contrariar este fantástico pensamento de Fernando Pessoa: é um boneco que, caricaturando ... Fernando Pessoa, segura por intermédio de um íman, um abridor-de-garrafas metálico em forma de guitarra. E daí? perguntam vocês! É que ele me foi oferecido há mais de trinta anos pela minha mulher (então namorada) e nunca se extraviou. Além disso, sob o sacrifício da então estudante que gastara todas as suas economias para comprar esta que foi a sua primeira prenda para mim, o boneco (já velhinho e sem chapéu) adquire um valor crescente à medida que os anos passam, como símbolo de ...agora sim..."momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis". (vejam aqui, outros pensamentos de Pessoa)
Nestes dois últimos dias, o boneco tem trabalhado imenso, pois minha mulher fez anos e muitas cervejas e gasosas foram vítimas da famosa guitarra metálica. E vítima também fui eu, das cervejas que bebi, pois cada uma delas tinha o dobro dos hidratos de carbono permitidos diariamente pela dieta Atkins, que retomara na semana anterior. Resultado: ganhei um quilo e meio em dois dias. Já lá vão os dois dígitos de que há um ano me orgulhava de ter atingido! Se não tomar providências, voltarei aos absurdos 116Kg que tinha em 2003. Para me meter medo, fui então olhar as fotografias de 2003. E ... qual perseguição de Fernando Pessoa, Ricardo Reis, Álvaro de Campos, Alberto Caeiro, ou que raio que o homem se chama, me surge esta foto que ao lado vos apresento. Pessoa tinha tantos heterónimos que a sua própria identidade acabava por passar despercebida, levando até a que fosse chamado por sua namorada Ophélia Queiroz de "Ferdinand Personne" para ironizar que ele era um "Fernando Ninguém"! É pena que não hajam heterónimos que para além da personalidade mudassem também a silhueta. Adoptá-los-ia imediatamente. Certo que gosto de heterónimos (tenho dois), são mais úteis que os pseudónimos, sobretudo quando os usamos através da insegura Internet. Será que usar heterónimos dar-nos-ia maior segurança na Internet? Vejam que para isso teríamos que mudar completamente a nossa personalidade para não "dar bandeira". Era preciso ter uma grande imaginação e um manancial de criatividade. Ser um "fora de série" como o foi Fernando António Pessoa, aquele que por ter nascido (há 120 anos) no dia de Sto António (ou Fernando de Bulhões) herdou no seu nome os dois desse santo. "Fora de série" é o livro de Malcolm Gladwell que um outro "pessoa": Mário Persona, nos apresenta no seu artigo e vídeo Youtube, widescreen e pensamento bi-hemisférico. Nesse paradigmático artigo, digno de ser inserido no blog TransdisciplinarCV, Mário Persona nos fala precisamente do uso da imaginação e da criatividade, indo ao ponto de no seu TVbarbante dialogar consigo próprio, criando dois "mário personas", uma espécie de clones heterónimos. E ainda ele liga isso tudo às tecnologias da comunicação.
Agora vou vos apresentar as coincidências deste dia 30 de Novembro, subjacentes neste artigo:
  1. 73º Aniversário do falecimento de Fernando Pessoa (30-11-1935)
  2. 30 de Novembro é o Dia Internacional da Segurança em Informática (o Computer Security Day) e começou a ser comemorado há vinte anos,
  3. Ter tropeçado em Pessoa (boneco, fotografia e Persona)
  4. Persona (Mário) falar de criatividade, fora-de-séries, uso de dois "ele mesmo" para potenciar o poder das TIC
publicado por jorsoubrito às 08:50 | link do post | comentar